[ editar artigo]

Pesquisadoras da USP criam canal para dar voz às mulheres cientistas

Pesquisadoras da USP criam canal para dar voz às mulheres cientistas

O podcast Virgínias da Ciência, que está no ar nesta sexta-feira, 10 de julho, deve aproximar o mundo científico da sociedade em geral, mostrando o protagonismo feminino. O canal, ao lado do site, integra o projeto idealizado por quatro pesquisadoras que tem como objetivo dar voz ao trabalho feminino na ciência, contribuindo assim para sua difusão e igualdade de gênero.

As Virgínias, como se autodenominam, são Rita Tostes, Vânia Bonato, Alline Campos e Katiuchia Sales, todas professoras da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP. 

Rita é professora do Departamento de Farmacologia e cientista na área que estuda disfunção vascular em pessoas hipertensas, diabéticas e obesas. Já Vânia é do Departamento de Bioquímica e Imunologia e cientista na área de inflamação pulmonar. A cientista Alline Campos também é docente do Departamento de Farmacologia, como Rita, e estuda a neuroplasticidade. Katiuchia Sales, cientista na área de biologia tecidual e genética e professora do Departamento de Biologia Celular e Molecular e Bioagentes Patogênicos, fecha o time das Virgínias.

O substantivo próprio “Virgínia” foi inspirado em uma das escritoras mais importantes do século 20, Virgínia Woolf, pioneira em escrever sobre o apartheid de gênero. E é sob esse teto (ou quarto, como pensou a famosa escritora) que as cientistas realizarão encontros semanais, todas às sextas-feiras, entrevistando pesquisadoras das mais diversas áreas da ciência. As Virgínias querem que o canal seja o “espaço para a divulgação dos trabalhos, da voz e das histórias de mulheres cientistas, mães, filhas, cidadãs… mulheres livres que mudam o mundo, para melhor, todos os dias!”

Para a estreia, a primeira de uma série que traz cientistas envolvidas em pesquisas sobre a covid-19, a entrevistada é a professora Vânia, integrante do canal, falando sobre os projetos de pesquisas de seu grupo e sua contribuição científica para o controle da pandemia do novo coronavírus.

Vânia conta que esse projeto para estudar a covid-19 foi aprovado pela Fapesp recentemente, em abril. Diz que, por ser “uma doença cuja a gravidade está associada a comorbidades”, esse projeto se encaixou perfeitamente “nos interesses de nosso grupo de pesquisa que é estudar inflamação pulmonar e comorbidades”. O que pretendem, adianta ela, é identificar moléculas que mostrem a diferença entre a covid-19 branda e sua forma grave.

Além de falarem sobre seus temas de pesquisa, como é o caso da série sobre a covid-19, os episódios tratarão ainda da trajetória de cada pesquisadora, do estímulo da ciência entre jovens mulheres e também do balanço da vida profissional e pessoal destas mulheres de sucesso acadêmico.

A cientista Katiuchia diz que uma de suas expectativas é que o projeto seja uma ponte entre a ciência desenvolvida nas universidades e institutos de pesquisa e a sociedade brasileira. “Como mulher e mãe, e ainda no início da carreira, tenho a expectativa de aprender com nossas convidadas, aprender como elas conseguiram vencer os obstáculos de balancear vida pessoal e profissional. Eu vejo este balanço, hoje no início da carreira, de forma muito difícil”, afirma.
.
Alline está ansiosa pelos próximos capítulos e desafios do Virgínias.  “Esse é um projeto que temos em mente há algum tempo”. Conta que o grupo teve ajuda e conselhos de muitas pessoas queridas para que o primeiro podcast e o site fossem lançados, por isso vê-los tomar forma e serem lançados é muito gratificante. “Um trabalho em equipe que nos fez crescer e adentrar universos bem diferentes da realidade do laboratório e da sala de aula. Feliz por construir um novo espaço de fala para mulheres cientistas e suas histórias incríveis”.
.
.
Os programas e a divulgação dos trabalhos das “Virgínias da Ciência” serão realizados pelo site do canal que tem espaço especial para as “Sugestões” dos ouvintes que podem entrar em contato com as cientistas e sugerir temas.

FONTE DA MATÉRIA: Jornal USP

Empreendedorismo Rosa
Lênia Luz
Lênia Luz Seguir

Mentora Fundadora do Empreendedorismo Rosa Líder do Comitê Empreendedorismo no Grupo Mulheres do Brasil – Núcleo Paraná Lider do Lean In Circle ER Brasil Há 7 anos criou uma marca que se tornou um negócio e que hoje é seu real propósito de vida: o Em

Ler conteúdo completo
Indicados para você